54 – Transtorno Desafiador Opositor (F. Carnielli)

Quem nunca se viu diante de uma criança “difícil”, questionadora, com dificuldades para aceitar limites e lidar com frustrações? Parece comum e até mesmo esperado que em algum momento da infância (ou até o início da adolescência) toda criança se comporte dessa maneira.

No entanto, quando o comportamento hostil se torna frequente e existem muitas diferenças em relação à crianças da mesma idade, podemos estar frente a uma quadro de Transtorno Desafiador Opositor (TDO).

Esse transtorno se caracteriza por um conjunto de comportamentos negativistas, agressivos, desafiadores, questionadores e hostis em relação aos pais e figuras de autoridades. A criança não obedece, não assume seus erros, mente, perde o controle emocional e a paciência com facilidade, é mais irritada, vingativa e implicante com as pessoas. Ela também tem dificuldades para construir e manter relacionamentos interpessoais e geralmente apresenta baixo desempenho escolar.

Alguns estudos mostram que o TDO é uma combinação de fatores biopsicosociais, embora não exista uma causa específica para este quadro. Alguns desses fatores seriam a diminuição de algumas substâncias químicas no cérebro (como a serotonina), atraso no desenvolvimento, falta de fiscalização, abuso ou negligência por parte das figuras de autoridade.

Os sintomas do TDO iniciam-se normalmente antes dos oito anos de
idade e aparecem em diferentes contextos e situações. No entanto, geralmente são percebidos primeiramente pelos pais e pela escola, uma vez que a criança se mostra pouco cooperativa e se envolve frequentemente em brigas e discussões.

Esse transtorno, quando não tratado, pode apresentar-se como antecessor de um transtorno de conduta mais grave, já na adolescência e na vida adulta.

Não existe nenhum medicamento específico para o TDO. Podem ser usadas medicações para amenizar seus sintomas, porém a Psicoterapia Infantil e a orientação de pais e professores aparecem como principais aliadas no tratamento.

Flávia Ianzini Carnielli – CRP 06/95142

Sobre Flavia Ianzini Carnielli

Psicoterapeuta Clínica, sócia e membro da Clínica Psicológica M&C
Esta entrada foi publicada em Flávia Ianzini Carnielli e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

17 respostas a 54 – Transtorno Desafiador Opositor (F. Carnielli)

  1. Pamela disse:

    Excelente texto querida amiga…

    Não conhecia esse comportamento como um Transtorno propriamente dito. Muito interessante, e bastante frequente…
    Que difícil para a criança e para aqueles que a cercam…
    Um beijo grande
    Pamela

  2. antonio disse:

    muito bom o texto
    antonio

  3. Meire Toledo disse:

    Que interessante saber que existe esse transtorno, algo que muitas vezes nos passa como falta de educação. Os pais devem ficar atentos, não é? Dar limites enquanto ainda é tempo.
    Abraços.

  4. Aparecida Santos disse:

    Dra Flavia, gostaria de saber se uma criança com esse transtorno age da mesma maneira com qualquer adulto. A falta de limites independe de quem seja ou acontece especificamente com os pais e os professores?
    Obrigada,
    Aparecida.

  5. Cecília disse:

    Esse texto é bastante interessante. Acho que os educadores deveriam se informar mais sobre esse assunto para entender mehor o comportamento de determinadas crianças e não rotulá-las, como muitas vezes acontece.
    Maria Cecília.

  6. mary disse:

    Conheço uma pessoa que já está com 28 anos e se encaixa
    muito bem no perfil do transtorno desafiador opositor.È
    possível esse transtorno permanecer na vida adulta?
    obrigada,
    Mary

  7. RITA ELIANE disse:

    FLAVIA ADOREI ESSE TEXTO, É MUITO DIFICIL COLOCAR LIMITES EM CRIANCAS, A BATALHA É GRANDE E ARDUA

  8. Morgana disse:

    A incapacidade dos pais de aplicarem os devidos “nãos e chega” está sendo justificada com a criação de novos rótulos em síndromes. Não lembro de nenhum aluno de meu tempo de escola com alguma síndrome comportamental. Lembro do respeito que se devia aos pais e professores e do papel e função dos pais. E olha que meus colegas de escola já tem seus netinhos bem crescidos. Aprendi com meus pais a obediencia e a hora de escutar e cumprir o emcumbido. É isso que está faltando, “educação”.

  9. Morgana disse:

    Esqueci de completar, sou educadora, e lido com a falta de respeito vinda de casa em salas de 30 alunos, onde estão inseridos diversos rotulados e medicados para um possível comportamento em sala. Absurdo isso. Apoio a profissional que nos presenteou com sua palestra para pais recentemente, onde a mesma frizou que faltaram muitos “nãos” serem ditos firmemente. Agora a sociedade justifica sua incapacidade medicando esses anjos.

  10. Morgana disse:

    (na CID.10 é F91.3) – 313.81 – TRANSTORNOS DESAFIADOR OPOSITIVO

    Critérios Diagnósticos para F91.3 – 313.81 Transtorno Desafiador Opositivo
    D. Não são satisfeitos os critérios para Transtorno da Conduta e, se o indivíduo tem 18 anos ou mais, não são satisfeitos os critérios para Transtorno da Personalidade Anti-Social.

  11. Jaqueline de Souza disse:

    Flávia, meu filho tem um atraso na linguagem e me indentifiquei muito com os comportamentos do TDO ,estou passando por momentos dificeis pois todos acham que ele é mimado e isso faz com que ele não consigar fazer amizades.

  12. Gisele Lopes disse:

    Meu marido tem 31 anos e me preocupo muito com ele, pis acho que ele tem esse transtorno pelos seguintes motivos:
    - nao aceita ser advertido e corrigido, principalmente por mulheres, creio ter sido por causa do relacionamento conturbado que teve com a própria mãe.
    - Quando estamos conversando sobre algo e ele discorda ou não é do jeito dele, ele se irrita facilmente, e se tento continuar o dialogo, ele não quer e ao ponto de começar a xingar e perde o controle e o que estiver ao redor dele, ele pega e joga atirando em mim. e já chegou ao ponto de parti pra cima pra agredir fisicamente.

    Falo pra ele procurar ajuda psicológica, pois tenho medo qdo tivermos filhos, pois ele nao é paciente e tolerante e se irrita facilmente, pois até o olhar dele fica estranho e transmite ira .. as vezes preciso conversar ou ter dialogo sobre algumas coisas, mas tenho receios de manter um dialogo.

    Pode me ajudar e dizer o que posso fazer pra ajudá-lo, porque tenho certeza que tem transtornos ….

    Grata

  13. cleia cardoso bastos disse:

    Foi a primeira vez que li algo sobre o TRANSTORNO DESAFIADOR OPOSITOR, desde quando fiquei sabendo que meu filho de 12 anos tem esse problemas, é exatamente tudo que vejo nele, comecei o tratamento ano passado com ele, gostaria de saber se com a pisicoterapia, remédios como tempo elevai se ajustar, pois estou tendo muitos problemas na escola, até mesmo esse final de ano o colégio não aceitou a rematricula, estou muito apreensivacomo novo ano letivo, outra escola, gostaria de saber também se seria bom uma escola especializada e onde encontro. Parabéns pelo texto, se possível. me ajude.
    Abraço. Cleia Cardoso Bastos

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*