70 – O outro lado da depressão:o câncer de pâncreas (Convidado)

O outro lado da depressão: o câncer de pâncreas

 

Em 2006 foi o ator brasileiro Raul Cortez; em 2007 o grande tenor italiano Luciano Pavarotti; Steve Jobs, o todo poderoso da Apple, teve e em 2011 recidivou fatalmente. Em setembro de 2009, o ator norte-americano Patrick Swayze morria, aos 57 anos, vítima de câncer do pâncreas. O astro de Ghost não conseguia largar um velho hábito, o cigarro, nem durante as sessões de quimioterapia.

Aliás, esse vício é o principal responsável pelo tão temido cancer de pâncreas. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) os fumantes possuem três vezes mais chances de desenvolver a doença do que os não fumantes. Dependendo da quantidade e do tempo de consumo, o risco é ainda maior.
Outro fator de risco importante é o consumo excessivo de gordura, de carnes e de bebidas alcoólicas, além da exposição a compostos químicos como solventes e petróleo durante longo tempo. Quem sofre de pancreatite crônica ou de diabetes Melitus, quem foi submetido a cirurgias de úlcera no estômago ou duodeno ou sofreram retirada de vesicula biliar possuem maior chance de desenvolver a doença, e por isso devem estar atentos aos sintomas do câncer de pâncreas.

De acordo com o INCA, o câncer de pâncreas não apresenta sinais específicos, o que dificulta o diagnóstico precoce. Isso acontece porque o pâncreas está localizado na cavidade mais profunda do abdômen, atrás de outros órgãos. Os sintomas do câncer de pâncreas dependem da região onde está localizado o tumor, e os mais perceptíveis são os mais inespecíficos, como : perda de apetite e de peso, depressão, fraqueza, diarreia e tontura.

Os primeiros estudos investigando depressão associada a câncer de pâncreas indicavam taxas elevadas, ao redor de 33% a 50%. Entretanto, em estudo recente realizado pelo Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (IPq-HC-FMUSP), a prevalência de depressão foi 21% em 258 casos de câncer de pâncreas, avaliados retrospectivamente.
Normalmente na fase inicial o tumor desenvolve-se sem sintomas ; quando detectado já pode estar em estágio muito avançado. Quando está nessa fase, a dor é o sintoma mais comum, que no início é de pequena intensidade, podendo ficar mais forte na região do andar superior do abdome com irradiação para as costas. Outro sintoma do tumor é o aumento do nível de glicose no sangue, causado pela deficiência na produção de insulina. O tumor que atinge a cabeça do pâncreas possui como sintoma a icterícia. Ele é causado pela obstrução biliar, e deixa os olhos e a pele amarelados.

O câncer de pâncreas é raro antes dos 30 anos de idade, sendo mais comum a partir dos 60 anos. De acordo com a União Internacional Contra o Câncer (UICC), os casos da doença aumentam com a idade: de 10/100.000 casos entre 40 a 50 anos; para 116/100.000 entre 80 e 85 anos.

No Brasil, o câncer de pâncreas representa 2% de todos os tipos de câncer, sendo responsável por 4% do total de morte por câncer. Por ano, nos Estados Unidos cerca de 26 mil pessoas são diagnosticadas com a doença. A taxa de mortalidade por câncer de pâncreas é alta, pois é uma doença de difícil diagnóstico e é extremamente agressivo.

Henrique T. Martucci- CRM-6278-M.T
(66) 8111-0778
htmartucci@terra.com.br

Sobre mara

Psicoterapeuta Clínica, sócia e membro da Clínica Psicológica M&C
Esta entrada foi publicada em Sem categoria e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

18 respostas a 70 – O outro lado da depressão:o câncer de pâncreas (Convidado)

  1. Pamela Couto de Magalhães disse:

    Olá!

    Dr. Henrique! Excelente texto, não sabia dessa associação da depressão como um dos sintomas primários do câncer de pâncreas.
    Muito interessante… Importantíssimo o texto para que fiquemos mais atentos.
    Obrigada pelas informações.
    Abraço

  2. mara disse:

    Henrique ,muito interessante o tema e desconhecido para mim.Obrigada pela contribuição em nosso site ,e pela informação tão importante que nos ofereceu.
    Querido ,que voce possa trazer mais temas como esse ,e que aquí ,possa ser um espaço NOSSO.

    beijo

  3. Ilma Siqueira disse:

    bom dia,

    o câncer de pâncreas é muito agressivo mesmmo, perdi meu irmão por causa dele.
    Sofremos muito e foi tudo muito rápido. Ele estava com 52 anos, e quando soubemos já estava em estágio avançado, depois do diagnóstico, passado menos de 08 meses ele se foi.
    Muito bom este texto para que muitos fiquem atentos e assim que imaginarem que pode ser ele, procurarem ajuda médica.

  4. Fernando disse:

    Muito bom texto. Obrigada pela informação.
    Também não sabia sobre a depresssão como um dos sintomas desse tipo de CA.
    abçs

  5. Camile Cristina disse:

    Ai é muito triste. Não posso ler essas coisas que fico impressionada!
    Mas é muito interessante mesmo como pode.. que coisa!
    Beijos

  6. Marina Andrade disse:

    Bom saber. Obrigada bjs

  7. Olga Rikkmman disse:

    Dr, o cãncer de pâncreas tem maior incidência em homens?

    importante saber disso, muita gente ignora os primeiros sintomas.

    • Henrique disse:

      Olga, boa noite!
      No Brasil, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer, INCA, o câncer de pâncreas representa 2% de todos os tipos, sendo responsável por mais de nove mil novos casos anualmente. Na Europa, por exemplo, 60 mil pessoas são diagnosticadas com esse tipo de problema a cada ano. Embora a incidência do câncer de pâncreas ainda seja considerada baixa, a mesma aumenta a cada ano com o avanço da idade dos indivíduos. E o fator que hoje mais preocupa os médicos é a alta taxa de mortalidade: essa é a quarta principal causa de todas as mortes por câncer.
      Há um discreto predomínio da ocorrência da doença em homens do que em mulheres.
      Ab.

  8. Claudia Tomás Alves disse:

    O Câncer de pâncreas é um dos mais se não o mais agressivo!

    Também não tinha idéia da depressão como um dos sintomas. Muito curioso mesmo. Valeu a informação. Bom dia!

  9. Flavia disse:

    Oi Henrique
    Muito interessante o tema. Desconhecia a possibilidade desta associação. Mais um ponto para ficar atenta.
    Obrigada pela contribuição, espero te-lo com freqüência em nosso espaço.
    Flavia

  10. José Carlos disse:

    Bom texto essencial para nos mantermos prudentes. Importante sabermos sempre de tudo que se diz respeito à saúde. Poderemos assim evitar muitas complicações.

  11. Élcio Gonzaga disse:

    bom dia, ótima informação Dr. Henrique espero que possa contribuir com mais informações sobre os mistérios da medicina e mais sintomas de doenças como essa. Nós leigos, estamos carentes desses dados, que são essenciais ao nosso conhecimento.

    Élcio/março/2012

  12. romulo disse:

    Quanto maior a longevidade de um homem, maior o risco do desenvolvimento de uma patologia. Conheço bem o câncer de pâncreas e consIdero uma das mais violentas e invasivas patologias tumorais,

    Abcs e ótimo texto

  13. Vanessa Giotto disse:

    Muito bom bjss

  14. Jaques disse:

    Intessante mesmo, não sabia de peculiaridade.
    Precisamos ficar mais atentos diante do diagnostico de uma depressão.

    Abraços

  15. luiz candido disse:

    ACHO QUE É UM ALERTA PARA QUEM TEM DEPRESSÃO, ENVÉS DE SER ADMINSTRADO MAIOR ATENÇÃO PARA ACABEÇA E O SISTEMA NERVOSO, DEVE SE DAR MAIOR ATENÇÃO PARA O PANCREAS E A REGIÃO POLARIZADA POR ELE.

  16. Manuelita disse:

    Oi pessoal..vim aqui porque minha maezinha faleceu ha sois meses estou muito
    Mal ainda e vim pesquisar aqui porque todos os
    Dias fico lembrando dela..w realmente logo no
    Inicio em janeiro deste ano ela ficou hiper
    Depressiva..nao saia mais da cama nao queria comer
    E uma triateza profunda…o pior vc nao pode fazer nada pra salvar
    Quem vc ama..o dia mais terrivel foi quando o medico me chamou e disse q nao i mais ter jeito e no outro dia ela se foi..ela nunca bebeu nem fumou e so tinha
    49 ano..nunca vou esquecer..doenca mal dita

    449 anos!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*